Estrutura disponibilizada para a Seleção Brasileira em El Salvador reforça o comprometimento da CBSurf com a excelência e a busca pela inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Estrutura disponibilizada para a Seleção Brasileira em El Salvador reforça o comprometimento da CBSurf com a excelência e a busca pela inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio

 

Em parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB), Confederação Brasileira de Surf preparou  

excelente estrutura física e de serviços durante a campanha da equipe brasileira no ISA World Surfing Games 2021 em El Salvador.

Mesmo com o fim da participação brasileira no ISA World Surfing Games 2021 em El Salvador, parte da delegação brasileira permanece no país da América Central, onde aproveita a excelente estrutura física e de serviços disponibilizada pela CBSurf para o evento, que serviu de preparação para a estreia do surfe nos Jogos Olímpicos de Tóquio, a partir do próximo dia 25 de julho, no Japão.

Campeã brasileira de 2019 e um dos grandes talentos do país, Julia Santos seguirá no local realizando treinamentos específicos com a comissão técnica, além de sessões de treinos nas ondas da região de La Libertad. Já Silvana Lima, que representará o Brasil nas Olimpíadas, segue em plena recuperação da Covid-19 e está sendo monitorada diariamente pela CBSurf e as equipes médicas do evento e do COB.

O local de hospedagem da delegação brasileira em El Salvadorfoi cuidadosamente escolhido pela CBSurf para oferecer as melhores condições de segurança, treinamento e recuperação dos atletas durante o campeonato. Além disso, a facilidade de acesso às ondas de La Bocana e El Sunzal, palcos da competição, foi fundamental para a escolha do local. “A estrutura que foi providenciada pela CBSurf foi muito boa”, elogia o experiente Paulo Kid, técnico da Seleção Brasileira. “O hotel em que ficamos foi criado com essa proposta de receber surfistas para treinos de alto rendimento. Além de ficar em frente a um pico com boas ondas, há uma raia de piscina exclusiva para natação e uma sala de equipamentos para um treino completo de funcional. A comida também é muito boa e tivemos todo o conforto necessário para abrigar a equipe brasileira. Outra grande vantagem é que é um lugar isolado e protegido, importante para o momento em que estamos vivendo”, continua Kid.

Já a equipe envolvida com a operação e os serviços complementares oferecidos na base da Seleção Brasileira em El Salvador são os mesmos que farão parte das Olimpíadas do Japão, o que garante um elevado nível de comprometimento e uma maior interação entre profissionais e atletas. “Os profissionais são muito competentes. Tivemos a presença de um fisioterapeuta e um massoterapeuta cedidos pelo COB, que estão acostumados a trabalhar com atletas de ponta de diferentes modalidades olímpicas, e inclusive estiveram no último Mundial da ISA no Japão. Eu estou aqui como técnico, então a Confederação pensou nisso também, para poder filmar e analisar as ondas dos atletas, orientar sobre equipamento. Enfim, a estratégia e planejamento foram muito bem pensados, e espero que isso possa ser estendido também para as novas gerações”, fala Paulo Kid. “Outro detalhe importante é que nos foi oferecido um bate-papo informal com o Bernardinho, do vôlei, que é um treinador super vitorioso, passando sua experiência em duas Olimpíadas como jogador e seis como treinador”, completa Kid.

Em função do cenário de pandemia da Covid-19, a CBSurf usou toda a expertise de logística do COB (Comitê Olímpico do Brasil) para garantir uma menor necessidade de deslocamentos, contato e exposição a lugares e pessoas que não façam parte do ambiente controlado pela comissão, criando a famosa “bolha”. Além disso, a CBSurf arcou com os custos de inscrição, passagens aéreas, hospedagem, transporte e alimentação dos integrantes da Seleção Brasileira de Surfe.

Silvana Lima, Italo Ferreira, Gabriel Medina e Tatiana Weston-Webb serão os representantes do Brasil na aguardada estreia do surfe nos Jogos Olímpicos. A briga pelas medalhas de ouro nas categorias masculina e feminina começa a partir do dia 25 de julho, nas ondas de Shidashita, a cerca de 60 quilômetros de Tóquio.

Já o ISA World Surfing Games 2021 segue até este domingo (6) em El Salvador e definirá os últimos 12 atletas classificados (7 mulheres e 5 homens) aos Jogos Olímpicos no Japão. A disputa está sendo transmitida ao vivo no Brasil com exclusividade pelo Canal Olímpico do Brasil (https://www.canalolimpicodobrasil.com.br).

A Seleção Brasileira conta com o apoio da grife carioca Wöllner, responsável por vestir a delegação no ISA Games em El Salvador, além do suporte da marca Silverbay, referência em equipamentos para atletas de alta performance.


Fotos de Rafael Bello/COB

Divulgação CBSurf

 

(Visited 24 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.